Celebridade da Bola bate um bolão

Sou radialista em Goiânia e como todo profissional da área, temos livre acesso á cinemas, clubes e festas. Tenho 32 anos, faço o tipo nem feio nem bonito. Por isso compenso a ausência de adjetivos me vestindo bem, e usando perfumes marcantes. O resultado é sempre satisfatório, por isso tenho muitos amigos, e gatas desesperadas querendo dar a bucetinha para mim.

Quero deixar claro aqui que não sou gay, e nem por isso preconceituoso, tenho mente aberta, mas o que vou relatar aqui me deixou em dúvida sobre muitas coisas.

Era sexta feira e um dos clubes mais badalados da cidade estava promovendo uma super festa. Cheia de novidades, bebidas exóticas, dançarinas de pole dance, gogoboys e show de drags. O nome da festa era: Sem Preconceitos – Essa Noite Vale

Tudo. Pelo título e a variedade de atrações percebi logo que a noite seria muito louca.
Cheguei as 23:15 e observei que tinha pouca gente. Umas pessoas extremamente interessantes e comunicativas. Fui me enturmando e lá pras 2 da madruga a festa tava bombando. Já havia beijado várias garotas, e feito muitos amigos. Eu havia decidido que naquela noite beijaria todas e não ficaria com nenhuma.

No auto da minha bebedeira e incentivado pelos novos amigos, acabei subindo num palco reservado para os mais atiradinhos darem seu showzinho particular e fiz uma dança bem provocante, usando como apoio o cano da poledance(não me lembro o nome desse troço). Não sei se era pra me zuar, mas todos começaram a bater palmas no ritmo da música me incentivando a dançar. Larguei a barra e tirei a camisa e joguei no meio do povo. Sou malhadinho por natureza, juro que nunca fiz musculação ou coisa parecida.

Algumas mulheres subiam no palco e me davam bebida, e eu louco que estava bebia enquanto dançava. Acho que isso fez minha cabeça rodar um pouco. Foi então que acabei minha apresentação agradecendo os aplausos.

Quando desci um cara tipo segurança veio até mim e pegou no meu braço e cochichou algo no meu ouvido, mas não entendo direito, e imaginando que seria expulso segui o rapaz obedientemente. Qual não foi minha surpresa quando me levaram para um camarote extra vip, e fui apresentado a um sujeito que me parecia conhecido,mas a cachaça na minha cabeça não me ajudava a lembrar quem era. O cara até que era bonito, alto, corpão e uns olhos que só não eram mais bonitos do que seu sorriso largo e conquistador. Elogiou minha dança, e me chamou para irmos num lugar mais sossegado. Não sei porque aceitei sem maldade alguma. Só achei meio estranho quando o motorista dele nos deixou num hotel muito chique aqui da cidade, que só conhecia por ouvir falar. Fomos para a suite dele. Nos serviu uma bebida que aceitei prontamente. Era whisky, e pelo gosto era coisa boa mesmo.

Meu novo amigo ligou o som e uma música forte e vibrante invadiu o ar. Ele então olhou para mim e pediu: Por favor! Dança pra mim ver. Você é muito bom, e de onde estava mal conseguia ver. Eu devia estar muito bêbado mesmo, porque comecei a dançar, tirei a camisa e joguei para ele. O sujeito pegou minha camisa e a cheirou. Eu ri e continuei a dançar. O rapaz estava sentado numa poltrona de pernas e boca abertas olhando para mim. Fui até ele e pedi dançando que ele desabotoasse minha calça. Na verdade eu queria humilhá-lo com essa ação…Pra minha surpresa ele não se sentiu ofendido e tirou meu cinto. E qual não foi minha surpresa quando vi meu pênis ser tirado para fora da calça e ser sugado com força. Essa atitude me deixou meio tonto. Tentei recuar, mas não tinha jeito, eu estava muito bem seguro. Foi então que segurei sua cabeça e comecei a socar meu pênis já duro na boca dele com força. Meu amigo tentava falar algo, mas meu pau era grande e preenchia todo os cantos de sua boca. Durante uns 10 minutos tive meu pau chupado como um picole de creme, e finalmente gozei feito um cavalo no cio…Nem cheguei a ver meu esperma, pois ele foi forazmente devorado. Caí numa poltrona ao lado exauto e já quase curado da bebedeira. Foi como se todo ácool que ingeri durante a festa tivesse sido sugado junto com minha porra.

Foi aí que olhei bem para aquele rosto, e um clarão me veio a mente e falei: _Ei cara você não é o…Psiu! Interrompeu-me o famoso jogador de futebol, e completou: _Sem nomes e nem profissões por favor! E veio cheio de paixão e me beijou a boca, ainda com o gosto do meu esperma.

O resto de noite foi maravilhoso. O cara era um cavalão. Chupava bem demais, além de dar o cúzinho como uma puta no cio. Cuzinho esse que comi umas três vezes. Só não comi mais pq o filho da mãe adorava mamar meu cacete. Até para me acordar já quase meio dia foi com um maravilhoso boquete. Trocamos msn, nos abraçamos, e ele prometei que sempre que vier a Goiânia a gente vai ficar junto. Na verdade ele até hoje não voltou, más já mandou grana várias vezes para mim passar minhas férias e alguns fins de semana com ele no Rio de Janeiro.

Combinamos que tanto ele quanto eu não podemos nos expor para o mundo. Mas debaixo de um quieto, nos consideramos namorados. Super abraço e até mais!


%d blogueiros gostam disto: