Meu amigo policial

Olá pessoal! Vou contar aqui uma história de muita amizade, que se transformou em tesão…

Conheci o Toninho há nove anos, quando ainda éramos adolescentes. Ele tinha 16 e eu 15 anos. Estudávamos na mesma escola e morávamos perto um do outro. Rapidamente, nos tornamos grandes amigos. Fazíamos tudo juntos.

E assim foi o primeiro ano do ensino médio. Mas quando veio o segundo ano, ele precisou mudar de turno por causa do trabalho. Acabamos nos afastando um pouco, mas tentávamos nos falar sempre que era possível. E assim foi até terminarmos o ensino médio.

Eu comecei a fazer minha faculdade de administração. Ele optou pelo trabalho. Vez ou outra nos víamos, mas não com muita frequência. Toninho era um jovem bonito. Magrinho, mas bonito, muito bonito. Sempre notei isso.

Mas achava estranho porque ele nunca aparecia com namoradas. Eu sempre namorei. Em 2007, Toninho resolveu prestar um concurso para a Polícia Militar aqui de Goiás. Mas ele teria que sair de nossa cidade, Goiânia, e ir para Luziânia, pertinho de Brasília.

No dia da viagem, ele esteve em minha casa para se despedir. Peguei o carro e o deixei na rodoviária. Ele terminou o curso de soldado e foi trabalhar numa cidade um pouco mais distante. E ainda assim, nossa amizade continuou. Nos falávamos pouco, mas não nos esquecíamos.

Depois de uns dois anos com ele morando longe, Toninho conseguiu uma transferência para Goiânia. Ele continuava sem namorada. Dizia que só queria namorar quando tivesse condições financeiras. Mas ora, um jovem policial bonito de 24 anos sem namorada e sem sexo??? Eu estranhava, mas deixava pra lá…

Quando ele retornou pra nossa cidade, nosso contato aumentou de novo. Nos víamos sempre, íamos ao shopping pra bater papo… Nossa amizade voltara a ser o que era.

Certo dia, estávamos conversando sobre atividades físicas. Veio a ideia de fazermos natação juntos. Topei na hora. Procuramos uma escola de natação e, na semana seguinte, começamos a atividade. Fizemos a primeira aula.

Apesar de muito amigos, nunca tínhamos nos visto com roupas de banho ou mesmo nús… Notei que ele me olhou de forma diferente quando tiramos as bermudas e ficamos somente com o calção de banho.

Não dei muita atenção àquilo e fizemos a aula. Terminada a atividade, fomos para o vestiário tomar banho. Fazíamos a aula cedinho por causa de nossos horários de trabalho e estávamos só nós dois no vestiário. Os chuveiros não tinham divisórias.

À medida em que fui tirando minha sunga, ele foi me acompanhando com os olhos. Confesso que fiquei incomodado, mas não dei bola. Ele tirou a roupa dele. Nem reparei.

Mas, quando começamos o banho, ele no chuveiro ao lado, percebi que seu pau começava a ficar duro. Ele tentou disfarçar, mas foi inútil. Toninho tinha um pinto de tamanho normal, com a cabeça rosada. Em dois minutos, seu pau estava duro como pedra.

Aquilo me excitou. Fiquei de pau duro também. Mas terminanos o banho e vestimos nossas roupas. Estávamos no meu carro. Aquele homem de 25 anos estava ao meu lado, com um tremendo volume na bermuda. Os dois estavam calados.

Nenhuma palavra. Chegando na minha casa, não havia ninguém… Nunca tinha tido aquela vontade, mas me entreguei ao desejo.

Como fazia calor, disse a ele que iria tomar outro banho. Ele perguntou se também poderia tomar mais um. Eu disse que sim. Para minha surpresa, fomos os dois para o banheiro. O box daqui de casa é apertado.

Quando tiramos as roupas, os paus estavam em ponto de guerra. Ele se virou dentro do box e meu pau roçou sua bunda. Ali, nos esquecemos de nossa amizade e nos tornamos amantes.

Nos beijamos loucamente e fomos para a sala depois do banho. Toninho começou a me chupar. Que sensação deliciosa daquele homem policial me chupando. Parecia que saber fazer aquilo muito bem.

Nem minha namorada chupava daquele jeito. Retribuí. Ele gemia de prazer e de tesão. Quando terminei o serviço, ele me pediu para comê-lo.

Peguei uma camisinha e salivei em seu cuzinho, ainda virgem. Tenho um pau de 17 cm e bem grossinho. Quando coloquei a cabeça, ele gritou de dor. Disse pra ele ficar calmo que ele iria gostar.

Fui colocando aos poucos até enterrar minha pica naquela bunda magrinha, mas gostosa. Ele foi gostando daquilo, e começou a rebolar. Já tava dando como uma cadela.

Eu bombava com força e rapidez. Os gemidos de Toninho me excitavam e me faziam estocar com ainda mais força.

Comi meu amigo policial em todas as posições. Ele tava dando de pau duro. Isso me deixava louco. Depois, ao mesmo tempo que o comia, batia uma punheta pra ele.

Fomos ficando loucos. O tesão nos incendiava. Nossos corpos estavam suados e excitados. O tesão tomava conta e gozamos juntos. Deitamo-nos exaustos e depois tomamos mais um banho.

Ele foi para casa e teríamos outra aula de natação dentro de dois dias. O que aconteceu, eu conto depois…

Se você gostou, me adicione. Sou ativo e tenho 25 anos. keroteen2009@hotmail.com


%d blogueiros gostam disto: