Transei com meu estagiário e gostei muito

Esse relato aconteceu no mês de fevereiro deste ano. Me chamo Marcus, tenho 24 anos e sou analista de planejamento de uma grande empresa aqui no Rio de Janeiro. No início do ano fui promovido a analista e como ganharia novas funções, precisava de alguém para me ajudar e solicitei a admissão de um estágiário. Solicitação aceita pela diretoria, fomos ao processo seletivo. O RH selecionou 5 rapazes e após o bate papo inicial eliminou 2 deles, ficando 3 para que eu escolhesse o que iria trabalhar comigo. Após analisar o currículo e confesso que analisei quem era o mais gostoso, resolvi ficar com o Vinícius. Carioca, 18 anos, estudante de administração e que demonstrou ter interesse em aprender e se capacitar para o mercado de trabalho, além de ser muito gostoso.

Aqui no trabalho ninguém sabe da minha opção por homens. Sempre preferi não demonstrar pois num mundo tão preconceituoso como o que nós temos, isso poderia me atrapalhar profissionalmente. Logo que voltei de férias no fim de janeiro, ele já havia passado pelos treinamentos e integrações e já conhecia bem a empresa. Sendo assim, iniciamos o trabalho. Passei para ele o que eu esperava dele, quais eram os objetivos do departamento e disse que o que precisasse ele poderia contar comigo, pois antes de ser chefe, eu era um amigo.

Os dias se passaram e durante o carnaval, tivemos expediente normal, pois tinhamos um grande projeto para apresentar. Eu queria ver até onde poderia contar com o Vinícius. Ele topou numa boa, estava bastante focado no projeto e não tinha ora pra sair do trabalho. Ele disse que seus pais haviam viajado e que ele estava sozinho em casa, sem ter que dar satisfação a ninguém e por isso não tinha pressa de sair do trabalho.

Após terminarmos o dia, como já era tarde e ele mora em niterói, perguntei se ele não queria dormir lá em casa, pois no dia seguinte precisariamos estar bem cedo no trabalho. Ele topou e como tivemos um dia estressante, sugeri que fossemos tomar umas cervejas pra esfriar a mente.

Saimos do trabalho e fomos para um bar, tomamos várias cervejas e ele ainda misturou com caipirinha, resultado, estava doidão. Saimos do bar eram umas 23:00h. Entramos no carro e fomos para casa. Chegando lá, entramos e falei pra ele tomar uma ducha, ele entrou no banheiro, mas deixou a porta entre aberta. Ao passar pelo corredor, vi aquele corpo nu, se ensaboando e pra minha surpresa, a sua piroca estava dura e ele ensaboava e passava a mão por ela, alisava, tocava uma punheta bem devagarzinho. Sai antes que ele percebesse, pois não sabia qual seria a sua reação. Aquilo me acendeu. Da sala perguntei se ele queria ajuda no banho, falei num tom de zoação e ele respondeu quero sim pra minha surpresa. Cheguei na porta e em tom de zoação de novo perguntei: Quem que eu ensaboe suas costas? E ele respondeu, não… Só queria que me desse uma toalha. Aquele corpo era perfeito, mas naquele momento pensei comigo, ele não quer nada a´lém de uma toalha… Ele saiu do banho e eu fui tomar o meu. Não conseguia parar de pensar naquela rola maravilhosa. Fazia muito calor naquele dia e como só tem ar-condicionado no meu quarto, perguntei se ele esquentava de dormir comigo na mesma cama. Ele meio encabulado, respondeu que sim, mas que só tinha um problema, ele só dormia pelado e eu respondi, eu também… Deitamos e fomos para debaixo do cobertor. Ele começa a puxar assunto, me perguntando o que eu to achando do trabalho dele, etc.. Eu disse que estava trabalhando bem e que se continuasse assim poderia ser promovido ao término do estágio. Após batermos papo, fomos dormir. Meu pau latejava de tesão, mas queria mesmo era a piroca dele. No meio da noite percebi que ele se mexia de um lado para o outro e me viro de costas para ele. Passados uns 2 minutos, sinto ele virar para o meu lado parecendo que iria dormir de conchinha comigo, finjo que não estou sentindo nada e deixo para ver até onde ele vai. Sinto sua piroca dura encostar na minha bunda e seu peito encostar nas minhas costas, seu braço me abraço e me aperta e sua outra mão ele procura minha rola e quando acha começa a acariciá-la, rapidamente ela fica dura eu finjo que acabara de acordar e olho para ele que olhando nos meus olhos me diz: "Você é muito gostoso". Me viro para ele e começo a beijar aquela boca maravilhosa. Um beijo de lingua estalado, gostoso. Nossas mãos começam e tocar nosso corpo, começo a punhetá-lo e logo depois a chupá-lo, fazemos um 69 espetacular e ao mesmo tempo em que chupamos, enfiamos o dedo no cuzinho do outro. Que sensação maravilhosa. Ele pede pra mim parar pois queria me foder e depois ser fodido. Me viro de 4 para ele que faminto vem e encaixa seua rola na entradinha e força. Sua pica tem 19 cm e não é tão grossa, mas ele me fodia de uma maneira forte. Parecia um cachorro louco no cio. Me bombava e eu não aguentava de tanto prazer. Antes dele gozar ele sai e manda que eu deite na cama, ele lambuza minha piroca e senta com vontade. Cavalga feito uma piranha. Rebola, senta, quica… Antes de eu gozar ele sai e voltamos ao 69. Chupamos até gozarmos, um encharcando a boca do outro. Estavamos exaustos. Tomamos um banho, trocamos mais uns sarros e voltamos a dormir. Quando acordamos, antes de ir para o trabalho, advinha qual foi o café da manhã? Leitinho quente… Depois do leite fomos para o trabalho terminar nosso projeto. Como só tinha nós dois na empresa, durante os intervalos rolaram mais umas aventuras, mas isso conto depois.

Se gostou desse relato, entre em contato: markus.vinicius0101@gmail.com


%d blogueiros gostam disto: