O beijo de lingua terminou em sacanagem

Hoje tenho 24 anos e vou contar para vocês neste conto real o que aconteceu comigo a partir de julho de 2006.

Com 22 anos conheci numa festa um cara bem mais velho que eu. Na época ele tinha 38 anos. Pois bem, lá pro final da festa o conheci e rolou um papo legal, antes deu ir embora trocamos telefone e foi só isso.

Uma semana depois ele me ligou me convidando pra uma reunião de amigos tipo queijos e vinhos, achei meio estranho, mas acabei indo, independente da faixa etária das pessoas serem bem maior que minha me senti bem, me entrosei e acabei me divertindo.

Com o tempo ficamos mais amigos e a nos encontrar mais, ele também gosta de musica instrumental, cinema e volta e meia nos encontrávamos ou na lagoa ou no calçadão da praia. Já fazia uns 4 meses de amizade, marcamos de nos ver numa pizzaria numa sexta feira e depois ele me chamou pra ir casa dele escutar uns CDS de jazz e continuar o papo. Fui nessa que minha vida mudou.

Chegando ao apartamento dele, um sala e dois quartos bem transado, ficamos escutando musica, ele abriu um vinho e o papo rolando cada um numa ponta do sofá ate que ele se levanta e me pergunta se eu quero mais vinho, enquanto ele foi na cozinha eu me levantei também e quando ele voltou entre uma frase me entregou o vinho e pra meu espanto me deu um beijo rápido na boca e sem se preocupar comigo ou com aminha reação continuou no papo como se nada tivesse ocorrido. Fiquei meio sem graça, mas aceitei e voltamos pro sofá e de volta a conversa.

Uns 10 minutos depois ele se aproximou de mim e me deu um beijo de verdade, tentei escapar meio sem jeito mas ele entrou na seqüência e eu realmente fiquei excitado. Um tesão diferente , forte e ali no sofá começamos a nos acariciar. Já num clima meio safado e de brincadeira ele abriu aminha calca e começou a chupar o meu pau lentamente. Ele saiu do sofá, ficou de joelhos e eu pra acompanhá-lo me levantei e fiquei ali de cima pra baixo observando ele me lamber e se deliciar no meu pau ereto como nunca antes. Na evolução eu já tava com a calca nos joelhos e cueca indo pra mesma direção e a mão boba dele começando a se assanhar.

Só sei que, enquanto ele me chupava, a mão boba dele sempre procurava a minha bunda. Mesmo tirando a mão dele ele percebeu que eu tava gostando e intensificou os ataques e eu acabei liberando as sarradas. A excitação se tornou incontrolavel, pensado no que tava acontecendo e ao mesmo tempo curtindo aquele cara me explorando cada vez mais. Ele levantou, fui levado novamente pro sofá e alem dos beijos comecei a sentir o corpo dele no abraço e quando ele tirou a calça imediatamente já estávamos nos esfregando e eu num ato de falta de lucidez peguei no pau ele. Lentamente fiquei acariciando-o e gostando de sentir na minha mão a textura dos pentelhos a anatomia de suas curvas o pau já molhado a pele macia o saco as junções … que delicia.

Um tempo, ele levanta , pede pra eu ficar ali deitado e rapidamente ele troca o cd e traz mais vinho. Eu deitado de bruços no sofá, ele sentado no chão, começamos a conversar de um geito bem mais intimo só que ele sempre me acariciando nas costas e claro que sempre de encontro a minha bunda. O tempo passou um pouquinho, o papo deu vez ao silencio e eu ali sonolento fiquei entregue aos carinhos.

Um frio repentino me da um choque! Desperto com as duas mãos besuntadas de KY e como um profissional ele dava passeios maravilhosos com as maoes e a sensação do dedo dele fazer amizade com meu anel me levou a loucura. Ele foi me amaciando e lentamente o dedinho já não encontrava resistência nenhuma. Pedi para ficarmos por ali, mas assim que terminei de pedir ele subiu e em quanto eu tava naquela de querer parar … ele apontou roçou a cabeça do pau no meu cu e na minha duvida a cabeça entrou dei uma mexida e veio a estocada. Vale desabafo, que dor horrível, me trinquei todo e falava repentinamente sai sai …. ele deu a ultima estocada e lá tava eu com ele dentro de mim.

Nesse caso a experiência fala mais alto, ele ficou imóvel me pedia calma baixinho no pe do ouvido, e entre os beijinhos carinhosos repetia pra eu relaxar. Me contorcia dentro daquele abraço e cada vez mais encaixava. A dor diminuiu um pouco, mas a sensação de ser dominado superou e eu dentro do possível relaxei e fiz de tudo pra não demonstrar que tava começando a gostar daquela situação. Ele pra não me machucar mais, continuou imóvel, pedi pra ele não gozar em mim e depois de um bom tempo ele tirou, novamente dor e ardência e enquanto sentia meu cu latejar vi ele em pe, tirar a camisinha rapidamente e gozar por conta, no ar.

Fiquei ali olhando pra ele e meio sem jeito fui pro banheiro pensei em tomar banho, mas resolvi me vestir e fui embora, ainda no táxi pensado como eu poderia voltar no passado. E esquecer aquilo tudo. Esse pensamento me acompanhou ate depois do banho já na minha casa ate que consegui dormir. Dia seguinte não tava acreditando, porem me lembrando alem da tomada de consciência também me veio tesão dos detalhes.

Claro, essa foi a primeira e ultima ninguém vai ficar sabendo e também não vou mais vê-lo. Piada. Ele no final da tarde me ligou, quando vi no celular o numero dele fiquei em pânico , mas com a insistência atendi e pro meu espanto ele todo carinhoso perguntando como eu tava e me dizendo que não se arrependia pois já tava afim de mim fazia um tempo. Em fim, passado umas semanas acabamos saindo conversamos e passamos a nos ver com uma certa freqüência mas como antes, como amigos e com o tempo passei a pensar em aceitar que eu gostava dele.

Numa noite, íamos sair, mas só que eu tava ardendo de tesão e evidente que o tesão me fazia pensar naquela noite fatídica. Ao envez de sair fui direto pra casa dele e confessei que eu tava arendoo e dessa vez ele fui eu que dei pra ele , a preliminar fui curta , escolhi a posição e de quatro na cama deixei ele me fuder.

Começou meu aprendizado ali mesmo passei a não gostar quando o pau dele refletia e saia, meio sem graça foi aprendendo a gemer, a gostar do cheiro dele quando tava mamando, descobri o prazer de ficar de frente de frango todo arreganhado vendo o pau dele entrando e roçando na parede interna do meu cu enquanto eu via a cara dele de safado e de carência por prazer e passei a ter a duvida em mim se era melhor a sensação do que ele fazia comigo ou a sensação deu ta ali feliz de ta saciando ele.

Evidente que passei a ter um dono, que meu anel pegou a forma do pau dele e que eu não sentia mais dor e que quando ele me tinha meu comportamento afinava proporcionalmente com o prazer que ele me dava. Era freqüente nossas noites a alem do sexo bom passei a querer acordar com ele.

Já no meu quarto mês de passivo assumido pra ele, naquela noite me preparei pro amor e na preliminar eu de frango alongado e arreganhado ao maximo recebi o dedo indicador dele cheio de carinho e já na procura do que o dedo dele perseguia fiquei louco mas quando senti o dedo dele tocando a minha próstata passei a mexer e a gemer miúdo como uma cadela rendida e a ter pequenas gozadas e eu com o meu pau mole, babando esperma entrei em desespero de prazer . Pra mim aquilo não era mais preliminar, mas faltava ele, eu já sem forcas o recebi dentro de mim e dessa vez deixei ele gozar em mim e ter uma sensação louca de ve-lo latejar e bombear leite pra dentro como se eu fosse fêmea . Realmente eu não resisti e rolou um eu te amo.

Dia seguinte comprei minha primeira calcinha e eu nova, magra e clarinha passei a esperá-lo chegar em casa sempre cavadinha e afoita pra ele me tomar de assalto e me consumir.

Durante um ano e meio vivi assim, feliz, menina, vaidosa como crossdresser e toda vez que ele sinalizava lá tava eu exigindo carinho pra depois ofertar carne macia pro homem que me ensinou a te prazer em dar prazer.

Um beijo e paz pra vocês.


%d blogueiros gostam disto: