O motorista do taxi foi fundo…

pedropauloprado@hotmail.com 

Trabalho como mecãnico de motores numa empresa de manutenção. Esta semama, recebemos um serviço para ser realizado em carater de emergência o que nós obrigou a criar um horário noturno. Concluido o sercivo e despachado a motor ao contratante. Fui selecionado para fazer a instalação cujo local esta a 180km do Rio.
Como a empresa não dispõe de uma frota de carros, contrataram um taxista para fazer a corrida.

Tudo estava indo normal, o motorista era gente boa, 25a, branco, casado, boa pinta e muito bom de papo. fomos conversando sobre assuntos diversos até que eu toquei no tema sexo. Primeiro falamos de mulheres até que toquei no assunto de sexo entre homens. Digamos que joguei a corda pra ver se o taxista se enforcava.
Ele falou que já tinha feito. Ao 16 anos, um vizinho casado fez uma gostosa boquete em sua pika.
Mas ele não tinha ficado só nessa, o primo da mulher dele também costumava se diverdir com a ferramenta dele.
Uma vez que o terreno era fertil, falei que eu também adorava sexo com homem e passei a mão sobre a pika dele. Ele riu de leve e pergutou se podiamos nos diverdir durante a viagem, concordei. Ele botou pra fora já bem duro, mas uma coisa é ser divertir e outra e ser impludente. Falei que fazer enquanto ele dirigia era arriscado. Rodamos por agum tempo ate que ele viu uma estrada de terra que dava sinais de pouco uso visto que a vegetação tomava conta da pista.
Paramos o carro um pouco fastado da estrada, abrimos os vidros para possibilitar ouvir qualquer barrulho estranho. Comecei mamando aquele material que tanto me delicia. Engolia, lambia, chupava… mas a possição no carro esta desconfortável e ele propoz passamos para o banco de traz. Feito isso, começamos a nos despir e a trocar abraços apertados, caricias, beijos. Lambiamos nossos corpos que suados tinha gosto de sal. Mas o tesão era maior e nada importava.
Fiquei de 4, olhando para o vidro trazeiro e com meu cuzinho devidamente linguado e umecido com gel, foi aos poucos recebendo aquela pika durrissimo. Pedi para ir devagar pois sou apertado. Ele atendeu e eu pude sentir cara pedacinho entrado dentro de mim. Com ele todo agasalhado, cu devidamento alargado, pudemos partir para a festa. Ele socada com força alternando com metidas bem suaves. Falei que queria cavalgar e mudando de posição, sentei com vontade e desejo.
Segurando meu corpo junto ao dele, e com muito embaraço, fui colocado na possiçao de franquinho.
Ele metia com prazer e força e seguia assim ate que anunciou que iria gozar. Gemidos foram coroados com um forte e contido grito. O Pulsar de sua pika dentro de meu cú confirmou o gozo. Estamos suados e meio ofegantes. Mas tinhamos que seguir viagem. Por sorte ele tem papel higienico no carro. Nos limpamos, e nos vestimos. E fomos ate o destino. na volta, paramos num posto de gasolina e no banheiro fizemos uma bela foda. Quando saimos do box, demos de cara com um caminhoneiro que fingiu não perceber o que ocorreu.
Voltamos ao Rio, e ao me deixar em casa ele me deu o cartão com o numero de seu cel, já ligamos um, para o outro e marcamos algo pra esté fim de semana. 


%d blogueiros gostam disto: