Meu vizinho hétero

franklinqb@uol.com.brTenho 21 anos e resolvi morar sozinho. Depois de procurar um bom apartamento, optei por morar em um prédio de três andares. Eu me mudei e, todo o dia, ao chegar e ao sair, notava um cara que morava no segundo andar. Eu moro no terceiro. Um cara muito lindo, nos seus 40 anos, muito forte e com corpo bonito. Eu secava o cara. Em um sábado à noite, toca a campainha. Vou abrir e é o cara. Com uma garrafa de vinho, ele adentra meu apartamento e pergunta se eu estava a fim de um tomar um bom vinho. Lógico que aceitei o convite. Ele entrou em meu apartamento com uma camisa em malha, calças jeans e descalço. Abrimos o vinho, servirmos e conversamos. Ele me contou sobre sua vida, que é hétero, que estava sozinho agora e perguntou sobre a minha vida. Eu disse que era homo e que estava procurando iniciar a minha vida e encontrar alguém que gostasse. Ele, então, me disse que o sonho dele era ter um relacionamento homo. De repente, diante de minha surpresa, chegou mais perto e me beijou na boca. Foi um beijo maravilhoso e demorado. Caricias e beijos e estávamos pelados. Ele, com um corpo sensacional, muito malhado, e mostrando uma pica dura que nunca tinha visto igual. Media uns 24×7 cm. Fiquei aterrorizado. Eu, virgem, ali com aquele cara.Senti que ele, hétero, queria comer. Conversei com ele mostrando minha situação, mas ele foi irredutível. Ele me disse que queria me comer e que seria naquele momento. Começou as preliminares, tentando enfiar um dedo, depois enfiou dois e depois três. Eu gemia de dor e de prazer. Quando ele sentiu que tinha me relaxado, veio em cima. Enfiou o cacete e eu gemi alto. Ele, sem dó, foi enfiando até que conseguiu enfiar a cabeça. Eu gemia de dor. Ele enfiou o resto até o saco de uma vez. Eu gritei de dor. Aí pedi que ele não tirasse mais. Ele tirou de uma vez e enfiou tudo de uma vez só. Delirei. Com o saco encostado na minha bunda, ele começou o movimento alucinante e rápido de ir e vir. Eu, de quatro, fiquei recebendo aquela pica arrombando meu cu por uns 20 minutos até que ele gozou. Foi tanta porra que jorrava para fora do meu cu. Deitamos, um ao lado do outro, e ele me disse que tinha sido a melhor trepada dele. Ele me beijou muito, me fez caricias, me apertou junto ao seu corpo e enlaçou suas pernas nas minhas. Descansamos um pouco e, logo, seu pau estava duro de novo. Ele me virou de lado e introduziu sua pica no meu cu de uma vez, bem rápido. Depois, ele subiu em cima de mim, me colocou de quatro e fodeu novamente. Demorou uns 30 minutos até gozar novamente. Tirou o cacete do meu cu e pediu que eu o lambesse. Assim o fiz. Passamos a noite juntos e ele trepou comigo mais três vezes. Fiquei cheio de porra. Ele descobriu que adora homens de paus grandes, de coxas grossas com cabelos finos nas pernas e que me deixam louco dormindo comigo entrelaçado entre suas pernas. Ele sabe que foi o primeiro e quer ser dono do meu traseiro. Eu adoro esse homem que me come e que sente prazer dentro de mim. Bebo da sua porra e quando ele goza dentro, faz questão de ver a porra sair. É o meu homem e eu sou sua putinha, como ele mesmo diz. Somos felizes, já estamos casados e, cada dia que passa, mais louco de prazer fico pela sua pica e ele pelo meu cuzinho, que ele sabe aproveitar tão bem.


%d blogueiros gostam disto: