Archive for outubro \31\UTC 2004

Meu Melhor Amigo

outubro 31, 2004

Sempre acompanho os contos aqui colocados, confesso que estou até viciado, pois faço sempre o possível pra não perder nenhum.
Minha experiência começou com a minha saída de São Paulo. Mudei-me para o interior de Goiás minha terra natal…Quando cheguei descobri na minha ausência a cidade havia mudado muito, fiquei três anos ausente, e a maioria de meus amigos haviam se casado e eu acabei ficando muito solitário.
Más não demorou muito e um deles acabou se separando da esposa que o havia traído e passou a frequentar muito minha casa. Saímos e ele se lamentava pois ainda amava a esposa infiel e sentia muito a falta de sua filha de dez anos…Chegou o carnaval e resolvemos curtir todas as noites, afinal éramos solteiros e livres, meu amigo Carlão(nome fictício) estava louco por uma transa e começou a me dar algumas cantadas bem discretas. Eu fingia não entender, não que não tivesse tesão por ele, más não queria ser quebra-galho de ninquém, ele faltava implorar dizia que quando casado transava todo dia, e que eu como amigo tinha que ajudá-lo a “Aliviar”. Eu ria e fingia que não entendia nada, adoro me fazer de bobo as vezes…
Carlão era tudo de bom 1,78 de altura, o peito meio peludo, o braço forte também peludo uns pelos meio loirinhos…Muito macho, umas pernas de tirar o fôlego. O tempo passou e Carlão arrumou uma namorada e logo começou a transar com ela e mesmo assim continuava a me assediar, então resolvi.
Marcamos de sair, ele então foi a minha casa, eu o recebi de toalha e disse que não tinha ninquém em casa e eu estava indo tomar banho. Meu amigo abrir um sorriso lindo e me disse que tudo bem ele me esperaria no quarto…Quando voltei ele havia pegado uma poltrona e colocado de uma forma que ele poderia me assistir enquanto eu vestia roupa. Chequei tirei a toalha, comecei a conversar banalidades, cologuei um perfume, vesti a cueca vagarosamente e quando terminei ele levantou de onde estava sentado e disse: Olha como você me deixou safadinho !!! Eu ?! Respondi rindo e olhando o volume da sua calça que ele fazia questão de valorizar dando uma apertada com as mãos. E agora como é que eu fico ? Perguntou ele olhando pra min.
O que você quer que eu faça pra resolver seu problema Carlão ?! Desafiei…O que você quizer…Disse meu amigo. Então dei-lhe um empurrão que ele caiu de cheio encima da poltrona onde estava sentado, me ajoelhei, tirei seu cinto e comecei a morder seu pau por cima da calça…Ele gemeu, um gemido longo e sentido…Abri sua barquilha…Deixei escapar um Nossa!!! De admiração, o pau de meu amigo era enorme 19×8 e num formato propício para ser chupado…
Comecei a passar a língua em volta da glande…Ele agora não gemia urrava…Será que a mulher dele numca havia chupado aquele pau lindo ? Ele então pediu que eu engolisse seu pau todo e prontamente atendi…Suas pernas tremiam, chupei a ponta do meu dedo e o introduzi no seu anelzinho rosado e apertadinho…Ele abriu as pernas pra facilitar a entrada. Comecei a fazer um vai e vem com o meu dedo dentro dói cu dele enquanto o chupava…Ele puxava meus cabelos o que me deu mais tesão…
Depois de uns quinze minutos de chupação ele anunciou que ia gozar…Então eu parei olhei pra ele e disse: Então goza na minha boca meu macho. E voltei a chupar…Não demorou muito e seu pau começou a jorrar…Fiquei com a boca cheia, ele não parava de gozar…Pequei a toalha e transferi a porra que tava na minha boca pra ela e continuei a chupar, novamente a boca estava cheia…Não tive coragem de engolir e novamente limpei a boca na toalha…
Assim que terminei levantei fui ao banheiro lavei bem a boca vesti roupa e saímos…Tentei falar sobre o que havia acontecido más ele sempre mudava de assunto. Então lhe disse: Que pena que está arrependido pois, eu estava querendo muito mais do que chupar seu pau…Mesmo?! Disse ele olhando nos meus olhos e aí eu é quem mudei de assunto. Passados dois dias…Bem é melhor deixar pra contar a nossa primeira transa de verdade no próximo conto. Até lá !

Primo Taradão

outubro 6, 2004

Sou loiro tenho 18 anos, 1,83 de altura, olhos verdes e 17cm de rola. Sempre leio os contos e resolvi narrar aqui o que me aconteceu…Tenho várias namoradas, más confesso que nunca amei verdadeiramente nenhuma delas, e sempre me gabei disso, pois tenho amigos que comeram o pão que o diabo amassou em nome do amor. É bem verdade que às vezes sinto muita inveja deles, más eu acho que tudo tem seu tempo, antes de me apaixonar por uma mulher, preciso antes experimentar de tudo um pouco pra ver se é isso mesmo que eu quero, pois não consigo me imaginar casado e com um monte de filhos me torrando o saco. Um belo dia fui passar férias na casa do meu primo, e conversa vai, conversa vem, acabei contando pra ele meus planos…Foi então que ele me perguntou se podia me ensinar tudo o que ele sabia em termos de sexo e de amor, vacilei um pouco e fiquei meio indeciso foi então que ele me disse que tudo que acontecesse entre nós dois seria nosso segredo e que nenhum dos dois jamais contaria nada pra ninguém…Então topei. Meus tios iam passar três dias fora e a gente ficaria só, pelo menos á noite já que durante o dia tínhamos a companhia da empregada da família como companhia…O dia foi longo e confesso que sentia um misto de tesão, medo e ansiedade. E a todo o momento eu me perguntava o que aquele rapaz de 25 anos, 1,75 de altura, cabelos negros e corpo maravilhoso tinha para me ensinar…Chegou à noite, Lucas abriu uma cerveja e colocou o liquido em dois copos e me serviu um, ele me disse que eu não devia ter medo, que além de meu primo ele me amava muito e não ia fazer nada pra me machucar. Eu então disse que confiava nele e que nas próximas horas todo meu corpo e ser pertenciam a ele, meu primo então olhou no fundo dos meus olhos e sorriu, um sorriso de amor e simpatia. Então se aproximando de min, me beijou a boca, primeiro carinhosamente e depois de uma forma que parecia que sua própria vida dependia de um beijo meu…eu correspondia, minhas pernas tremiam…Ele abriu minha camisa e começou a sugar meus mamilos, meu coração batia aceleradamente…Eu já estava sem camisa quanto comecei a sentir seus lábios no meu pênis ainda protegido pelo tecido grosso da calça jeans que usava, meu membro latejava, parecia que ia explodir…Ele então se levantou e tirou sua ferramenta pra fora…Meu Deus! Como era grande! Eu tentei falar que não daria conta de agüentar tudo aquilo dentro de min, más não pude dizer nada pois quando abri a boca pra falar ela, minha boca foi preenchida com o pênis do meu primo. Que sensação estranha, que sabor diferente de tudo que havia experimentado na vida…Chupa! Falou mansamente meu primo. Obedeci! Comecei tentando engolir todo seu pau, o que foi impossível pois o mesmo era muito maior do que minha boca poderia engolir…Então passei a chupar só a cabeça do bicho, como se o mesmo fosse um sorvete daqueles bem gostosos que a gente não quer que acabe nunca…Hum…Hum…Hum…Eu gemia de excitação! Para! ordenou meu primo já quase gozando. Não quero gozar agora não…Ainda tenho muita coisa pra fazer com você meu priminho gostoso. Não demorou muito e eu já estava completamente nu, a mercê do meu dono e senhor…Lucas me olhava como um lobo mau que vê chapeuzinho vermelho pela primeira vez. Confesso que fiquei com medo pois me sentia uma pressa fácil, diante de um predador feroz e faminto. Ele feio deitar-se em cima de min, com um carinho tão grande que um pouco do meu medo foi embora. Deu-me um beijo, chupou minha orelha e cravou os dentes no meu pescoço, soltei um gemido de dor e Lucas afrouxou a dentada e foi até meus mamilos que mais pareciam duas pedrinhas de rubi de tão duras e vermelhas…Quando chegou no meu umbigo senti sua língua penetrá-lo como se meu umbigo fosse meu cúzinho virgem recebendo seu cacete, aquilo me deu uma sensação tão forte que fiquei todo arrepiado e meu corpo tremeu tão forte que parecia que ia ter uma convulsão, logo meu pinto estava sendo sugado avidamente enquanto Lucas apertava suavemente minhas bolas, não aquentando mais pedi para que ele parasse o que não fui atendido, muito pelo contrário ele me virou de bruços de uma forma tão brusca que soltei um pequeno grito ao mesmo tempo em que as partes da minha bunda eram separadas, foi quando senti uma coisa firme, quente e macia me alisar o cú. Era sua língua que já preparava o caminho para uma invasão maior. Comecei a tremer mais ainda…Um dedo, dois dedos e de repente três dedos…Naum…Naum…Naum…Tentei reagir mais foi em vão, senti uma coisa cabeçuda e dura forçando a passagem, comecei a chorar…Lucas então me segurou pela cintura e começou a me arrombar…Lucas! Lucas! Não, por favor ta doendo eu não to agüentando pare! Você ta me rasgando, tenha piedade eu faço qualquer coisa pra você mais isso não, não estou agüentando. Foi o que eu disse, mais não fui ouvido, só ouvia seu rugido de fera no cio tentando abrir caminho…Comecei a chorar como uma criança abandonada pelo pais, só então Lucas parou e muito sem graça pediu desculpas, dizendo que eu era gostososo demais e isto fez com que ele perdesse o controle. Então dá uma chupada aqui bem no capricho e faz eu gozar como nunca gozei e outro dia eu termino o que comecei…Não foi preciso pedir de novo, imediatamente abocanhei seu mastro e o engraçado é que desta vez eu estava conseguindo engolir todo o caralho do meu esfomeado primo. Meu cú continuava a latejar…O medo era tanto de que o Lucas tentasse me comer novamente, que eu chupava aquele pau como se minha vida dependesse disso. Lucas então mandou que eu deitasse de uma forma de ele colocaria o pinto na minha boca como se a mesma fosse uma boceta e começou a socar…Logo saquei o que ele queria fazer comigo, como se fosse um castigo por eu não conseguir recebê-lo dentro de min ele iria gozar na minha garganta como se ela fosse meu próprio cú…Se você deixar derramar uma gota que seja eu vou comer seu cúzinho de qualquer jeito, você querendo ou não…E adivinhem. Engoli tudinho, primeiro com um pouco de dificuldade pois a quantidade era muito grande, depois já estava até gostoso. Se vocês pensam que parou por aí, se enganam tive que chupar mais duas vezes e novamente engolir todo o leitinho do meu primo sem derramar uma gota, senão o meu castigo seria ser arrombado. Já satisfeito meu primo disse que já que eu não havia dado para ele não era pra dar pra mais ninguém se ele ao menos sonhasse que eu o tivesse traído ele acabaria comigo, e mais sempre que ele me quisesse teria que ser amamentado por ele, pois se leite materno faz bem, leite de primo é melhor ainda. Pode uma coisa dessas. Nunca mais voltei àquela cidade, só de ouvir falar no nome do meu primo já fico todo trêmulo. Será que você seria mais delicado comigo? Pois tenho a maior vontade de dar meu cúzinho, mais para alguém carinhoso e com paciência e de preferência sigiloso pois se meu primo descobre ele me mata.