A primeira mamada a gente nunca esquece!

cavs04@ig.com.br

Sempre fui um cara muito reservado, razão pela qual acho que perdi várias aventuras em minha vida. Tenho 1,75m 70kg, moreno jambo, praticante de esportes e muito, mais muito discreto mesmo.Então, sou daqueles que você nunca imagina mesmo (embora esteja longe de ser o único, afinal, há muitos outros assim…). Eu sou bi. Curto caralho e corpo de macho sarado também.
Hoje tenho 27 anos e já fui noivo. Comecei a ter consciência que também sentia esse tesão por machos vendo fotos na Internet com uns 20 anos. Estava lá na punheta, vendo as fotos das vadias se exibindo. De repente, abro umas fotos dos caras. \”Putz, maior corpaço que o cara tem… Porra, ele deve malhar muito para o peito ficar daquele tamanho, e o braço então? Que caralhão, puta que pariu, maior que o meu!\”. E por aí vai. E o pau endurece. E a fantasia fica na cabeça.
Foram três ou quatro anos até eu realizar a fantasia. Com a cabeça mais aberta já tinha sacado que gostava muito de homens. Era hora de partir para o real. Olhando sites de anúncios pela Internet (com fotos, claro), alguns me chamaram a atenção. Um deles em especial: um cara moreno, quase mulato, saradão, 28 anos, bi, totalmente ativo e procurando um cara completamente másculo para dar uma mamada nele. As fotos do caralhão do sujeito eram impressionantes. Trocamos uns e-mails, mandei umas fotos de corpo e partimos para o MSN. Feitas as apresentações, mostramos umas fotos de rosto e ficou claro: o tesão era mútuo. Marcamos a real.
Ele tinha um apartamento vago à disposição. Me deu o endereço e fui para lá, meio nervoso. Toquei a campainha e ele abre a porta. Era mais alto e também mais forte do que eu, tinha cara de sério e estava de bermuda e sem camisa. Entrei, sentamos e falamos qualquer bobagem. \”Putz, acho que vou travar e não vai acabar rolando nada\”, pensei. Já estava quase pensando em desistir e o cara deve ter percebido. Ele levantou, ficou bem na minha frente, abaixou a bermuda com violência e deixou o caralhão meio mole meio duro saltar no meu rosto, enquanto falou: \”Brother, já sei qual é a tua. Cai de boca, logo, cara!\”.
Fiquei com muito tesão com aquele cacetão a poucos centímetros da minha boca. Segurei, dei uma punhetada e ele era impressionante. Ficou todo duro muito rápido. E era muito grande. Pelas fotos, já sabia que era mais ou menos assim, só que, ao vivo, aquele pirocão era puro tesão. A grossura era assustadora. Minha mão não fechava em torno dele, de tão rombudo. E o cabeção era enorme e começava a babar.
Dei uma linguada no buraco de onde saía o líquido. Fiquei de pau duro na hora e o cara rosnou: \”Isso, bro, mama gostoso essa minha rola grossa…\”. Tirei a camisa e caí de boca com vontade. Eu comecei a mamar forte. Ia e voltava com a boca na pica e depois lambia o saco, punhetava e voltava a cair de boca, com a língua lambendo forte o cabeção, especialmente embaixo da cabeça. Eu nem pensava mais, só sentia meu pau duro e me punhetava enquanto o cara gemia alto com a minha mamada.
Fiquei mamando por um bom tempo e estava adorando. O cara parecia enlouquecer. Rosnava: \”Aí, brother, adoro um machinho assim que nem tu, com a boca no meu pirocão. Vai, mama gostoso. Isso…\”. Depois de quase 20 minutos de mamada, quando meu maxilar começava a cansar, senti que o sujeito começou a respirar diferente.
Senti o pirocão inchar ainda mais na boca e ouvi o cara começar a grunhir. Sabia bem o que estava vindo e agora não tinha mais volta: eu ia sentir porra jorrando na minha boca pela primeira vez. E veio, em jatos fortes, farta, enchendo a boca. Foi tesão demais. Gozei na hora, ao mesmo tempo. Quando ia tirar o caralhão da boca, o cara segurou a minha cabeça, meteu a pica mais fundo e ordenou: \”Não, engole o leite todo! Eu sei que é isso que tu quer!\”. E fiz. Depois, fiquei lambendo o cabeção que amolecia na minha boca. Ele arrancou fora a piroca e se sentou exausto. \”Bro, foi demais! Tu mama gostoso pra caralho…\”.
Levantei, coloquei a roupa e falei: \”Qualquer hora a gente marca outra\”, então saí fora. Voltando para casa, ainda sentia o gosto de porra do cara na boca. Com isso, fiquei de pau duro na rua, tive que dar uma ajeitada e colocar o pau para o lado. Agora, não tinha mais volta: gosto de HOMEM mesmo. Ainda dei umas olhadas para os caras na rua pelo caminho de volta para casa. E o gosto da porra aumentava ainda mais meu tesão. Era o melhor dos dois mundos! Caso tenha vontade de realizar as minhas fantasias, é saúdavel, totalmente ativo e curte outro brother é só entrar em contato…um grande abraço para todos e quem sabe para realizarmos fantasias mil…


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 32 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: