Macho feliz enrabando o cana machão

 mrubiao@bol.com.br

A vida é boa e a fila vai andando. Quem já leu meus contos aqui sabe quem eu sou e pra quem não conhece a única apresentação que faço é que sou um cara normal, dotado e comedor de cu de macho, que é o que me dá mais tesão. A última vez foi inesperada mas muito legal. Fui num mela cueca que tem aqui perto de casa pra dançar e beber. As meninas lá todas já me conhecem e de vez em quando aparece uma galinha nova que elas me apresentam. A noite tava bem agitada e começou uma briga. Acabei entrando no rolo sem ter nada a ver com a história e saí dando porrada pra todo lado. Acertei um cara no talo do nariz que até quebrou e daí o inevitável, polícia na parada e muita gente em cana, eu também. Depois de umas duas horas de delegacia e aquelas merda, tinham me deixado por último porque eu tinha machucado uns dois caras além daquele que quebrei o nariz. Na hora que eu entrei no escritório tava lá um tenente e uma escrivã com a maior cara de cansada. Tomaram meu depoimento e o tenente casca grossa que nem eu falou que eu sou muito encrequeiro e ia acabar complicando a minha vida por causa disso. Tava a ponto de falar umas merda com ele mas achei melhor ficar na minha. Fiquei reparando naquele cana. Era um cara novo, dos seus 25, 26 anos, malhado e com cara de macho, ele me fez ficar de pau duro na hora. Tirei a camisa da calça e coloquei por cima pra disfarçar, mas não tava dando. A escrivã percebeu e começou a me paquerar, mas o meu tesão ali era mermo por aquele cana gostoso. Me fizeram assinar o depoimento e ele falou assim que eu ia ser intimado pra aparecer na barra da justiça e responder pelos meus atos. Saí dali e parei no buteco da esquina pra tomar a última antes de ir embora, eu tava com muito tesão e meus bago até doía. Fiquei pensando naquele cana e pra minha alegria daí a pouco ele entrou no buteco, já tinha terminado o horário dele e ele tinha vindo ali pra tomar umas pra relaxar. Ele se aproximou de mim e falou que queria levar um papo, puta que os pariu, nem precisei chegar no cara. Ele me falou assim que o irmão dele trabalhava comigo e ele já me conhecia de nome, quando leu meus dados no bo sacou logo quem eu era e ficou preocupado porque esse irmão dele era meu considerado. As coincidências da vida. Ele me deu alguns conselhos e pediu que eu esquecesse o jeito que ele me tratou na delega, que só falou daquele jeito porque tinha que cumprir o papel dele de autoridade e tals. Fizemos amizade mesmo, mas eu tava afim era de comer aquele rabo gostoso e num deu otra. Fomos bebendo e fazendo amizade e meu pau tava que tava uma rocha aí eu falei assim que precisava dar um mijão porque tava apertado e ele acabou que foi comigo. Na hora que eu tirei meu pau pra mijar ele tava do meu lado, olha que o meu pau é grande assim e o cara ficou intimidado pelo tamanho e falou que eu tenho uma ferramenta e tanto. Dei uma risada e pesquisei melhor o terreno. Olhei praquela bunda e fiz a coisa que devia, levei a mão no trasero do tenente e dei aquela apertada gostosa que o cara ficou todo sem graça e falou assim quequeéilsso meu? Daí eu falei assim que ele era muito gostoso e tinha uma bunda maravilhosa, que eu tava doido pra meter nela e fazer ele gozar gostoso com o meu cacete enfiado nela. O cara horrorizou e quase que deu mais briga, mas eu fui mais esperto que ele e juntei nele tascando um beijo gostoso que enfiei a língua dentro da garganta dele e deixei ele todo sem fala. Ele gostou, o sacana. Voltamos pra mesa e falei assim com ele que eu precisava dele e eu ia fazer o que ele quisesse pra isso. Ele ficou me olhando com uma cara de raiva e disse assim que ele não era viado e que eu não tinha direito de ter aquela intimidade com ele. Comecei a tesar o filé da puta passando a mão nas coxa dele e ele parecia que ia me dar uma porrada mas foi o contrário. Falei com ele assim que eu tinha que chegar em casa e se ele quisesse a gente bem que pode se divertir um pouco. Ele não disse nada mas acabou que ele foi comigo com aquela cara toda sério e meio sem jeito. Quando a gente entrou na minha casa eu apertei ele na parede e dei aquela encoxada que ele não resistiu, joguei ele em cima do sofá e fui rancando as ropa dele e passando o caralho no rabo dele. Era uma bunda de macho bem peluda e gostosa, com um botão vermelhinho e peludo, não tive dó dele não, tasquei uma linguada que fez ele gemer todo e ficano arretado. O pau do cara tava duro e aí eu vi que ele era virgem mermo porque eu meti o cabeção no cu dele e não deu passagem. Mais eu gosto é assim. Fui metendo com força e entrou que foi delícia. Ele começou a chorar de dor, de tesão, sei lá. Dei uma metida violenta no cu do cana e já tava com os bago colado no rabo dele.Entrou meu bem, relaxa que eu vou te fuder bem gostoso. Ele não tava entendo nada e eu continuei metendo e dando tapão na bunda do puto. Aí ele caiu na real e começou a colaborar com a foda. Foi que ele começou a rebolar no meu cacete e eu metendo sem parar naquele rabo apertado. Gozei meu, gozei pra caralho que até escorreu da bunda dele nas minhas perna. Ele tava sem ar, sem jeito, mas agasalhando minha pica bem legal. Fiquei assim dentro dele por um tempo e depois cai de lado pra descansar que aquela foda foi bem ardida pro meu cacete. Ele tava chorando por conta do cabaço que perdeu mais aí eu fui fazendo um carinho nele e foi dez porque ele pegou meu cacete e começou a mamar. Porra meu, foi mais um cuzinho pra me dexar um macho bem do feliz.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 32 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: